a 4 dias


de eu fazer 34 anos, recebi das notícias mais tristes da minha vida. Foi detectado um cancro da mama à minha irmã. Numa mamografia de rotina, porque quem a conhece sabe os cuidados que ela tem com a saúde dela e dos que a rodeiam. Reagi sem reacção, perguntei-lhe tudo o que me lembrei e tentei animá-la o mais que pude... mas até ir dormir estava com uma sensação estranha de incredulidade. Acho que toda a gente, ou pelo menos a maioria, tem aquela ideia inocente de que são coisas que só acontecem aos outros e depois quando lhes cai no colo ficam à toa. E depois esta maldita distância que nos separa, não poder abraçá-la, dar-lhe a mão...
Há uma frase que diz: o pessimista queixa-se do vento, o optimista espera que o vento mude, o realista ajusta as velas. E nós, os médicos e quem mais for preciso vamos ajustar as velas para correr tudo bem e para a minha mana ficar como nova.

2 comentários:

alice disse...

E há-de ficar tudo bem.
Vão beijinhos e desejos de melhoras deste lado.

Lover disse...

não há palavras...sabes Ana, há momentos da vida que não existem distâncias, nem proximidades...o sentimento de impotência é arrasador...mas há uma coisa que não podemos perder...a fé...não importa a religião...mas o Amor!!!não tenhas duvidas, como diz em cima a Alice, vai ficar tudo bem!!!

Um beijo do tamanho do mundo e um abraço para a tua Mãe...para a tua Irmã e um Xi apertado para ti...e não te esqueças, vai ficar tudo bem, eu sei!!!

Beijo x A's

Enviar um comentário